Passar para o conteúdo principal

Artista nacional expressa a dor crónica através da pintura

O artista plástico Telmo Alcobia foi convidado para ilustrar numa tela a dor de um jovem carpinteiro com lombalgia crónica


Artista Telmo Alcobia - pintura 1


O artista plástico Telmo Alcobia foi convidado para ilustrar numa tela a dor de um jovem carpinteiro com lombalgia crónica, cujo testemunho pode ser ouvido em www.aminhador.pt. O quadro foi doado pela Grünenthal à Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF) durante o seu 34.º Encontro Nacional, de 16 a 18 de março.

 

“Esta iniciativa surgiu porque sentimos muitas vezes que é difícil para o doente exprimir como é a sua dor, o que dificulta a comunicação com o médico. Tendo em conta que os especialistas de Medicina Geral e Familiar serão, em cerca de 90 por cento dos casos, os primeiros a ouvir as queixas de dor dos doentes, entendemos que não podia haver melhor destino do que oferecer esta obra à APMGF”, explica Ana Martins, diretora-geral da Grünenthal.

 

Telmo Alcobia desenvolveu a obra ao vivo, durante os três dias do congresso. “Convidaram-me a materializar a dor numa imagem que espelhasse a dimensão da mesma na vida dos doentes. Por norma, criamos mais empatia com uma imagem do que com a comunicação verbal, pelo facto de a primeira gerar uma reação emocional. O percurso de construção do quadro foi gradual. As pessoas passavam pelo local e viam os traços a nascer, mas o processo artístico não revelava o final até à sua conclusão”, conta o artista. 

 

Rui Nogueira, presidente da APMGF, realça ainda que nesta 34ª edição do Encontro, “deu-se a feliz coincidência” de a imagem visual da reunião refletir uma perspetiva artística. “Nesse sentido, o contributo do Telmo Alcobia foi muito bem acolhido. A presença do artista a pintar a dor ao vivo deu mais ênfase a essa vertente. A expressão da dor é solitária, encoberta, de costas voltadas para a realidade e cumpre ao médico descobrir a parte oculta da dor”, conclui Rui Nogueira.